Estetoscópio

Resfriados: o tratamento é baseado no alívio dos sintomas, ou seja, não é diretamente o resfriado que irá ser tratado, mais sim a dor de cabeça, dor de garganta, a coriza. Para isso a pessoa deve ingerir bastante líquido, não só água, mas sucos e chás. Um corpo hidratado e bem alimentado, evita quedas na resistência (imunidade), conseguindo se recuperar rapidamente. E para prevenir basta alimentar-se bem, ingerindo bastante líquidos, dormir bem e fazer exercícios físicos regularmente.

Atenção!

Se os sintomas persistirem, procure um médico para fazer uma análise desses sintomas, pois os resfriados agravam as crises de asma, de sinusite e otite (infecção do ouvido).

Gripe: por ser uma das doenças mais comuns, o seu tratamento também é bem difundido. Diferente de cuidados com remédios que combatam o vírus, a gripe é tratada diretamente nos sintomas. Por exemplo, no caso de febre deve-se recorrer a compressas de água fria ou antitérmico, para a inflamação na garganta um antiinflamatório e assim por diante.

Outras providências a serem tomadas, é ajudar o corpo a eliminar o vírus, para isso o enfermo deve repousar, manter o corpo hidratado e acima de tudo, se alimentar corretamente, pois a ingestão de vitaminas e sais minerais colaboram para a saúde do corpo. Deve-se ressaltar que esses tratamentos só podem ser realizados com o acompanhamento médico.

Asma: essa doença requer um cuidado especial, pois ela provoca crises que se não forem controladas, podem levar o paciente ao óbito. Devido a dificuldade de lidar com as crises de asma, é importante que haja uma conscientização do paciente, dos familiares e de pessoas que vivam próximas ao doente, de forma que todos saibam lidar caso ocorra algo.

A fim de evitar que algo aconteça, o paciente asmático deve fazer um planejamento com seu médico, mostrando os passos a serem seguidos caso ocorra uma crise. E também como lidar com os sintomas frequentes da doença.

O tratamento da asma é feito com duas medicações, uma para o uso constante (uma espécie de manutenção da doença) que são os antiinflamatórios, já que se trata de uma inflamação. As crises são aliviadas com a segunda medicação chamada broncodilatadores que agem de maneira rápida melhorando a respiração do doente.

Bronquite: as duas formas da doença devem ser trabalhadas de maneira diferente. Na bronquite aguda, deve ser utilizado antibióticos, broncodilatadores e corticoides. Já na fase crônica, o tratamento deve ser incluído na forma de vida do paciente.

Além da medicação utilizada por quem sofre de bronquite aguda, os casos de bronquite crônica devem ter uma rotina diferente. O paciente não pode fumar e deve ser afastado do que lhe causa alergia, como a poeira. Além da medicação, existem formas caseiras que aliviam os sintomas da doença. Uma delas é a inalação, o vapor quente ajuda a eliminar as secreções que se acumulam no pulmão. Para aumentar ainda mais a eficácia, recomenda-se pingar poucas gotas de eucalipto que tem propriedades medicinais.

O que são broncodilatadores?

É uma medicação utilizada para desobstruir e dilatar os brônquios, possibilitando a passagem de ar, facilitando a respiração do doente.

Sinusite: o tratamento difere nas duas fases. Na primeira fase (sinusite aguda) é baseado no alívio dos sintomas como obstrução nasal, febre e dor, por meio dos descongestionantes e analgésicos. Tem a duração de 5 a 10 dias. Já a sinusite crônica, como qualquer outra doença crônica, tem que ter um tratamento especial. Além do descongestionante, é receitado ao doente um antibiótico, a duração do tratamento varia entre 10 a 14 dias. É comum também o médico preescrever um antiinflamatório para aliviar a dor. Em último caso, é realizada uma cirurgia.

Rinite: por ser uma reação alérgica, precisam ser tomados alguns cuidados, tanto com o paciente, como no ambiente em que ele vive. O ambiente em que o paciente mora, e principalmente o quarto onde dorme, devem ser limpos com frequência.

Deve-se evitar o uso de tapetes, carpetes e cortinas muito grossas, pois acumulam muito pó. É recomendado também dar preferência a produtos especiais para pessoas alérgicas tais como travesseiros ou cobertas antialérgicas. A ventilação é outro fator importante e se possível o ambiente deve pegar sol, evitando o aparecimento de fungos.

A medicação atua prevenindo e aliviando os sintomas. Os mais usados são os antialérgicos e os descongestionantes. Há as vacinas antialérgicas que necessitam de um tratamento prolongado, mas que seguido corretamente diminui a sensibilidade do paciente à substância alergênica, não sendo mais necessário o uso de medicamentos. 

TermômetroPneumonia: no caso da pneumonia bacteriana deve ser tratada com antibióticos, para casos leves pode ser tratada em casa e casos mais graves requer internação. No caso da pneumonia provocada por vírus, o tratamento visa ajudar o corpo a combater o vírus, é utilizada uma dieta apropriada, se necessário oxigênio e medicação caso o paciente venha a sentir febre ou alguma dor. Para pneumonias causadas por fungos ou parasitas, são usados medicamentos antimicrobianos. Em média, após medicado corretamente, entre 48 e 72 horas os sintomas tendem a aliviar. Quanto mais rápido for diagnosticada a pneumonia, maior é a chance de cura.

Tuberculose: é tratada por meio de antibióticos, todos eles fornecidos pelo governo (SUS). A medicação mais usada é a rifampicina, isoniazida e pirazinamida e devem ser ministradas por 6 meses ininterruptos. O grande problema do tratamento é que o paciente no primeiro mês apresenta uma melhora bastante significativa, e muitos acabam abandonando o tratamento, o que é errado. Se o tratamento for feito corretamente, em 6 meses o paciente estará curado.

Enfisema Pulmonar: por não ser reversível, o tratamento dessa doença vem para aliviar os sintomas e diminuir sua progressão. A primeira etapa do tratamento é parar de fumar. Os medicamento a serem usados são os corticóides e broncodilatadores por via oral ou inalatória, mas o benefício com a medicação ainda é reduzido. Existem terapias que ajudam o paciente a trabalhar o pulmão, como a terapia de reabilitação e a oxigenoterapia.

A primeira ensina o paciente a trabalhar a musculatura do pulmão, de forma que gaste menos oxigênio para realizar suas tarefas do cotidiano. Já a terapia com oxigênio, é capaz de melhorar a expectativa de vida dos paciente que já se encontram num estágio avançado da doença. Para alguns casos, indica-se a cirurgia. Será removido do pulmão partes que estão comprometidas, diminuindo o gasto de oxigênio e melhorando a respiração.