Homem IdosoCom o passar dos anos, o corpo humano vai perdendo sua jovialidade. A pele vai perdendo a viscosidade, os cabelos ficam esbranquiçados. E como os outros sistemas, o respiratório também fica debilitado.

Os pulmões perdem a elasticidade, diminuindo a sua capacidade. Os cílios responsáveis pela filtragem do ar e limpeza das secreções, diminuem suas atividades, causando um acúmulo que favorecem à inflamações. A musculatura do tórax perde a capacidade de eliminar secreções pela tosse e de respirar profundamente.

Essa mudanças ocorrem mais rápido com aquelas pessoas que foram fumantes durante toda a sua vida ou que viveram em ambientes em que o ar era poluído. Todas essas característica, consequentes do envelhecimento, favorecem e facilitam a instalação de doenças no organismo.

Tosse

A tosse é um dos sintomas mais comuns para quem já é idoso. Por isso deve ser sempre observada, uma vez que ela dura mais de duas semanas, a avaliação médica é imprescindível para um futuro diagnóstico. Ela está relacionada, na maioria das vezes, a aspiração (quando líquidos do estômago entram nos pulmões), infecções, alergias e a asma.

As causas mais comuns da tosse são: tabagismo, asma, tuberculose, bronquites, pneumonias e reação alérgica a medicamentos.

Dispnéia (Falta de Ar)

A faltar de ar acontece em pessoas já idosas, que estão de repouso ou que fizeram um esforço leve, como subir escadas. Ela é considerada um sintoma preocupante que abrange diversas doenças, ela é manifestada em doenças como insuficiência cardíaca, embolia pulmonar e pneumonias graves.

A gravidade é determinada pela quantidade de esforço feito, se uma pessoa sente falta de ar mesmo estando quieta (sentada, deitada) isso é considerado muito grave. Para os idosos qualquer doença respiratória é considerada uma situação de gravidade, sendo necessário uma observação constante.

Tuberculose

A tuberculose é uma doença grave transmitida pelo ar. Causada por um bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis) pode atacar todos os órgãos do corpo, em especial os pulmões. Por ser uma doença já controlada pela sociedade, ela é desenvolvida em idosos que tiveram contato com a bactérias ainda quando jovem e agora com o corpo fragilizado pela idade, o bacilo se manifesta.

Algumas debilitações aumentam ainda mais o risco de desenvolvimento de doenças, tais como: desnutrição, diabetes, tabagismo, alcoolismo. Por causa da idade os sintomas tendem a ser mais vagos, um exemplo é a fraqueza, emagrecimento e tosse.

O tratamento é feito com os remédios rifampicina, isoniazida e pirazinamida durante 6 meses. Essa medicação é gratuita e pode ser retirada nos postos de saúde. Não deve-se abandonar o tratamento, pois o bacilo depois de um tempo pode se tornar resistente a medicação já usada.